quarta-feira, 20 de julho de 2011

MutAção

Socorro!
Depressa! Depressa!
Vou-mitar um verso!

Precipita-me uma caneta, lápis ou qualquer
Preciso parir esta inquietude que ao ventre rasga
Blasfêmia que rompe a bolsa do silêncio... brada!

Depressa! Depressa!
Tá nascendo o sol no meio da cala
Palavra metamórfica que religa!

Rude, rasgada
Ela desponta em agonia
Chamam-na poesia.