sábado, 11 de março de 2017

Da carência que não alcanço

De um modo geral sou auto-suficiente.
E não vejo problema nisso.
Mas o mundo me acha antissocial.
É que eu preciso de algo mais interessante do que minha própria companhia!
Há muitas em mim as quais descubro todo dia e amo.

Me enfada pessoas comuns máquinas massa.
Bem como me enfada o excêntrico carente.
Não aceito intenções mal resolvidas
Cabeças e corações mal resolvidos
Gosto de gente que "sabe o que quer", 
entende porquê quer 
e "arregaça as mangas" por fazê-lo. 

Os carentes não entendem meu jeito.
Faço um esforço sobre-humano para não feri-los.
Eu forjo uma paciência que de fato não existe em mim.
Enquanto escuto a música monofônica de suas repetidas palavras
Enquanto me faço de paisagem que curte o vento que passa.

Entendo de suas sensibilidades.
E sou igualmente sensível como estas pessoas carentes.
Mas transformei minha sensibilidade em algo lindo pra mim.
É um caminho que tento apontar sempre:
Autonomia é paz interior.
Des-cubram-se!

quarta-feira, 1 de março de 2017

MIRAGEM

Leve, leve
Vida, leve!
Leve os sonhos que me incitas!
Deixe-me dura.
Levedura.
Todos se levam.
Eu sigo dura.
Eu peso.
Mil quilos de lucidez. 

Farseira!
O brilho da vida é como a cerveja:
Tira teus pés do chão
Pra te jogar no abismo.

Tampai de volta esta anestesia.
O pote de sonhos é pura fantasia.
Um gole de fel de realidade
Enquanto aperto o passo que a(tra)vessa a cidade.

Juliana Ponciri, 01/03/2017.


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Cotidiana

Terra
Tocar
Cuidar
Pouso
Re-pouso
Acolher
Peito
Pulso
Passo
Junto
Ficar
Estar
Ser
EntardeSer
AnoiteSer
Cafuné
Ternura
Sentimento
Pele
Bem querer
Entrega
Alma
Aderência
Foco
Serenidade
Segurança
Conexão
Sonhos
Corpos
Consciências
Coração
Latências
Riso calmo
Paz.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

"God knows everything."

Estou cercada de escancaradas respostas veladas

Símbolos e fatos significados
Cor-relações no arco-íris de minhas sinapses!

Avante! Diz o passo.
Re-tenha-se, o bom senso.

É preciso olhar de fora pra entender o dentro que vivemos.

Sair de si...
Mas o que é um "si"?
Quantos se's habitam em um si?
A condição é frágil, sensível e sempre humana.

Conectar-se...
Elohim... Tantos e todos nós!

Será que posso ser mais um co(ns)ciência a re-ssigni-ficar?
Que semi-ótica posso ser nesta órbita louca a girar?
Como traduzir a est-ética que vivo?

Zen-ser...
PertenSer...

Teu Graal me basta.